Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

sábado, fevereiro 17, 2018

Homem incendeia carro ao saber que mulher teve filho com o vizinho; vídeo

Veículo do amante da mulher ficou destruído. Menina de três anos é resultado de um relacionamento extraconjugal. Caso ocorreu em Santos (SP).


Por G1 Santos
Carro é incendiado após homem descobrir traição da própria mulher em Santos
Carro é incendiado após homem descobrir traição da própria mulher em Santos.
 
Um homem incendiou o carro do amante da esposa após descobrir que ele não é o pai biológico de uma menina de três anos. 
 
O caso ocorreu em Santos, no litoral de São Paulo, na última quarta-feira (14). 
 
O veículo ficou destruído, mesmo após a intervenção dos bombeiros. 
 
A ação foi registrada em vídeo e as imagens foram disponibilizadas ao G1 neste sábado (17). 
 
Segundo testemunhas ouvidas pelo G1, a descoberta da traição aconteceu durante o carnaval. 
 
O casal, que mora na Zona Noroeste da cidade, teve uma conversa e a mulher revelou ao marido que a filha, na verdade, era decorrência de um relacionamento com um vizinho, o que revoltou o rapaz. 
 
De acordo com a polícia, irritado com a descoberta, o homem traído decidiu atear fogo no carro do pai biológico da menina, um soldador de 38 anos. 
 
O veículo estava estacionado na Avenida Hugo Maia e foi alvo de um "coquetel molotov".
Bombeiros tentaram controlar incêndio em carro em Santos, SP (Foto: Reprodução)
 
Bombeiros tentaram controlar incêndio em carro em Santos, SP (Foto: Reprodução).
 
Testemunhas afirmam que viram quando o homem atirou a garrafa em chamas com produto inflamável para dentro do veículo, antes de fugir. 
 
Moradores da região filmaram o momento em que o automóvel era consumido pelas chamas. 
 
Ainda segundo a polícia, a mulher, considerada pivô da situação, contou para o amante que havia revelado o caso que ambos tiveram. 
 
Além dos bombeiros, a Polícia Militar foi acionada e encaminhou os dois para a Central de Polícia Judiciária (CPJ). 
 
As versões foram ouvidas pelo delegado de plantão, que encaminhou o caso para investigação no 5º Distrito Policial da cidade. 
 
A polícia não informou se o homem, responsável pelo incêndio, se apresentou na delegacia.
Veículo ficou destruído após homem traído atear fogo em Santos, SP (Foto: Reprodução)
Veículo ficou destruído após homem traído atear fogo em Santos, SP (Foto: Reprodução).

Lavrador líder de rede de pedofilia é preso após investigação no Brasil e na Espanha

Homem foi encontrado em Eldorado, cidade de pouco mais de 15 mil habitantes, no interior de São Paulo.


Por José Claudio Pimentel, G1 Santos
Pelo celular, lavrador de 35 anos compartilhava imagens de pedofilia em grupos internacionais (Foto: G1 Santos)
Pelo celular, lavrador de 35 anos compartilhava imagens de pedofilia em grupos internacionais (Foto: G1 Santos).
 
Um lavrador de 35 anos foi preso em Eldorado, na região do Vale do Ribeira, interior de São Paulo, após uma investigação conjunta entre as polícias do Brasil e da Espanha o apontarem como um dos responsáveis por manter uma rede de pedofilia internacional. 
Imagem relacionada Estima-se que ele tenha compartilhado 10 mil imagens ilícitas. 
 
Policiais federais da Delegacia de Santos, no litoral de São Paulo, responsável pela região, cumpriram dois mandados de busca e apreensão em endereços do alvo na sexta-feira (16). 
Contra o homem, cuja identidade não foi revelada para não atrapalhar as investigações, havia uma ordem de prisão preventiva estabelecida pela Justiça. 
 
A apuração do caso começou após desdobramentos de uma prisão de outro suspeito de envolvimento com pedofilia em Cubatão, no litoral paulista. 
A Polícia Federal descobriu que ambos investigados integravam uma rede internacional responsável por compartilhar vídeos e fotos contendo pornografia infantil.

A polícia da Espanha colaborou com as investigações da Polícia Federal brasileira em razão do lavrador pertencer a um grupo monitorado naquele país. 
Além de trocar material ilícito, o morador de Eldorado é investigado por suspeita de ser um dos líderes, em razão da influência que exercia dentro dessa rede.
Eldorado, no Vale do Ribeira, tem pouco mais de 15 mil habitantes (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)
Eldorado, no Vale do Ribeira, tem pouco mais de 15 mil habitantes (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1).
 
Pelo celular, conectado à internet, o lavrador recebia e enviava conteúdo a pessoas espalhadas pelo mundo em uma rede social. 
As investigações apontaram que o lavrador, que é casado com uma jovem de 18 anos e tem um enteado bebê, integrava, ainda, outras comunidades semelhantes que possuem o mesmo objetivo. 
 
Em depoimento à Polícia Federal, ele admitiu que compartilhava o material, mas negou ser líder dos grupos, o que o tornaria capaz de administrá-los. 
O homem justificou que, para atingir esse patamar nessas comunidades, teria primeiro que produzir imagens próprias com crianças e adolescentes e, então, publicá-las. 
 
A partir disso, mesmo com a negativa do lavrador de que fotografou e gravou conteúdo, os policiais federais passam a investigar eventuais vítimas dele na região do Vale do Ribeira. 
Há a suspeita que ele tenha estuprado menores de idade, mas a confirmação dependerá do aprofundamento das investigações no caso. 
 
Também serão analisados os materiais apreendidos nos endereços relacionados ao investigado, assim como o celular. 
Após ser encaminhado à Delegacia da Polícia Federal em Santos, o homem foi levado à Penitenciária 1 de São Vicente, também no litoral paulista, onde permanece preso sem reviso de liberdade.
Caso é investigado pela equipe da Delegacia da Polícia Federal em Santos, SP (Foto:  João Paulo de Castro/G1)Caso é investigado pela equipe da Delegacia da Polícia Federal em Santos, SP (Foto: João Paulo de Castro/G1. 

Temer anuncia criação do Ministério da Segurança Pública em reunião no RJ

Por Gerson Camarotti


Temer anuncia criação do Ministério da Segurança Pública em reunião no RJ
Temer anuncia criação do Ministério da Segurança Pública em reunião no RJ.
 
Durante a reunião no Rio de Janeiro neste sábado (17) com autoridades para tratar da intervenção federal no estado, o presidente Michel Temer anunciou pela primeira vez sua decisão de criar o Ministério da Segurança Pública. 
 
Até então Temer só tinha tratado do tema em consultas com integrantes da equipe. 
Mesmo assim, ele não anunciou nenhum nome para a futura pasta. 
 
A criação do Ministério da Segurança Pública vinha sendo debatida dentro do governo como uma medida para auxiliar no combate à violência no país. 
 
Após a reunião, em uma fala à imprensa, Temer disse que pretende criar a nova pasta nas próximas semanas. 
Ele disse que o ministério vai coordenar as ações de segurança pública no país, "sem invadir as competências dos estados". 
O presidente não deu mais detalhes. 
 
De acordo com o que já vinha sendo elaborado no governo, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, o Departamento Penitenciário Nacional e a Secretaria de Segurança Pública sairiam da alçada do Ministério da Justiça e ficariam sob o comando da nova pasta. 
 
O Ministério da Justiça seguiria desenvolvendo políticas preventivas de combate às drogas e programas de recuperação de ativos no exterior, além de ficar responsável pelos temas relacionados a estrangeiros e refugiados, pelo combate a carteis econômicos e pela defesa do consumidor.
Reunião de Temer e autoridades sobre a intervenção federal no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Twitter)
Reunião de Temer e autoridades sobre a intervenção federal no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Twitter).

Decisão inevitável - Jornal O Globo



A intervenção federal na Segurança fluminense foi forçada pelo quadro criado a partir da crise financeira do estado, com a perda de comando sobre as polícias e o esvaziamento do poder do governador Luiz Fernando Pezão, também atingido por estilhaços da explosão do seu grupo político, envolvido em corrupção, parte dele encarcerado, a começar pelo chefe, Sérgio Cabral.
As ocorrências no carnaval foram o ápice neste processo, e era mesmo imperioso decretar a intervenção na área de segurança do estado, historicamente problemática, com infiltrações visíveis do crime organizado. 

O caso do batalhão da PM de São Gonçalo, vizinho a Niterói, associado a traficantes da área, é emblemático. 

PMs chegavam a trabalhar em bocas de fumo.
Neste sentido, portanto, a crise financeira veio apenas agravar o que já acontecia. 
O aprofundamento da degradação do aparelho de segurança ao menos dá a chance de, com esta intervenção, ser preparado o terreno para a regeneração do aparato policial.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, tivera conversas reservadas no âmbito estadual sobre uma "intervenção branca" na Secretaria de Segurança. 

Uma forma de o Executivo federal assumir a área, sem a necessidade de, como estabelece a Constituição, suspender-se a tramitação no Congresso da reforma da Previdência. 
Mas o governador Pezão precisaria pedir esta ajuda.

Não o fez e só agora aquiesceu, e a uma intervenção formal, diante do avanço do crime, com tiroteios constantes em comunidades e fora delas, fazendo vítimas inocentes, várias crianças entre elas.
A situação de descontrole observada nas ruas terminou deixando em segundo plano a questão da reforma previdenciária, embora ela possa ser votada, numa suspensão momentânea do decreto de intervenção apenas para isso, como mencionou o próprio presidente Temer no pronunciamento que fez na solenidade de assinatura do decreto.
O comandante militar do Leste, general Braga Netto, conduzirá a intervenção, a primeira realizada sob a Constituição de 88, com a vantagem de já ter atuado em ações articuladas no Rio, de curto prazo, destacando-se o trabalho de segurança na Olimpíada. 

Conduziu, também, uma operação semelhante no Espírito Santo. 
Com os poderes de interventor, o general Braga Netto terá oportunidade de remover gargalos que impedem uma efetiva coordenação entre as Forças Armadas e as polícias fluminenses. 

Em ações tópicas anteriores, houve até sabotagem na área de informações, para desacreditar as forças federais.
Não há uma solução instantânea para a crise de segurança no Rio, parte de um problema que é nacional. 

Portanto, a intervenção em si é apenas um meio para conter e reverter a debacle. 

Serão necessárias ações efetivas na cidade, no estado e nas fronteiras, numa intensidade ainda não vista. 
A intervenção irá até 31 de dezembro. Talvez seja pouco.


Observação:

Todas as imagens postadas acima são do Google, e de nossa responsabilidade. O Editorial original não tem nenhuma foto.

Valter Desiderio Barreto.