Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

sábado, abril 29, 2017

Marido de Ana Hickmann chama grevistas de 'cornos': 'perdi R$ 25 mil'

Para empresário, greve geral foi 'baderna', 'coisa de gente vermelha'

Fama Revoltado Há 9 Horas POR Notícias Ao Minuto
O empresário Alexandre Correa, marido da apresentadora Ana Hickmann, fez um manifesto por meio de vídeo em seu Instagram, nesta sexta-feira (28), contra a greve geral que aconteceu em todo o Brasil. 

O ricaço chamou os manifestantes de 'cornos' e disse que perdeu R$ 25 mil por conta da paralisação.
  
“Eu, que não tenho nada com o pirulito… tome! 

As pessoas precisam entender que um país parado em uma sexta-feira inteira é prejuízo. 

Isso é baderna, é coisa de gente vermelha. 

Quem tá incitando a fazer greve tá pensando no seu bolso, que ganha fazendo greve”, disse Alexandre enquanto mostrava o dedo do meio (foto abaixo).

Em entrevista à Revista Veja, Alexandre explicou a declaração: "tem muita gente que ficou ofendida porque chamei manifestante de corno. 

Manifestante não é corno, é filho da p***", disse ele. 

“Com muita tranquilidade posso dizer que estou deixando de faturar uns R$ 25 mil”, completou. 

O empresário não abriu a loja nesta sexta porque não tinha transporte público e os seus funcionários não conseguiram chegar ao local de trabalho.

Alexandre nega ter esta opinião por ser branco e rico, pois, segundo ele, os pobres também foram prejudicados. 

“Começa com aquele assunto que eu sou branco rico, e não me importo com o próximo. 

A base do assunto. 

Elas acham que é preconceito meu. 

A gente fica aqui trabalhando, pagando imposto e é vítima de uma greve infundada. 

A greve ela é um direito, mas a partir do momento que ela tira o direito de ir e vir de terceiros, causando prejuízo a terceiros, eu não sei que greve é essa”, justificou ele.

A greve geral atingiu 129 cidades, nos 26 estados, e o Distrito Federal nesta sexta-feira (28). 

Organizados por movimentos sociais, os trabalhadores protestaram contra as reformas trabalhista e previdenciária.

Nenhum comentário: