Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

domingo, dezembro 31, 2017

Um presente mais do que especial ganhei em 2017.


Carlinhos com sua esposa e filha.




“Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.


Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos. Salmos 126: 5 e 6.


“O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio”. Provérbios 11: 30.


“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.


Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. Marcos 16: 15 e 16.



 “E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim;...”. João 17: 20.


“Porque todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo.


Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?


E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas.


Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: SENHOR, quem creu na nossa pregação?


De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. ROMANOS 10: 13 a 17.


“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”. I CORÍNTIOS 15: 58.


Começo esse texto com as referências bíblicas acima, porque tudo tem a ver com o presente que ganhei no apagar das luzes deste ano que daqui a algumas horas está se findando.

No dia 27 de setembro do ano ainda em curso, criei um grupo na minha pagina do Facebook denominado MINISTRO DO EVANGELHO VALTER DESIDERIO BARRETO, cujo objetivo é proclamar o nome do Senhor e Salvador Jesus Cristo aos frequentadores de redes sociais, transcrevendo textos bíblicos, seguidos de pequenas reflexões, e postando vídeos com temas bíblicos produzidos em casa. 

Já estamos nos aproximando de 10 mil membros no referido grupo. 

Todos os dias pessoas de diversas regiões do Brasil, e até de outros países, solicitam aprovação para adentrar ao Grupo, após a nossa aprovação, é que fico sabendo a origem dessas pessoas através do seu perfil, ou elas se encarregam de se identificarem suas origens.

Em uma dessas solicitações para adentrar o nosso Grupo, aprovei a entrada de um cidadão que até então não sabia a sua orígem, até que no domingo, dia 23, às 21: 29, recebo uma mensagem no meu Messenger, de alguém agradecendo-me por tê-lo aceito no Grupo. 

Em seguida, o cidadão até então desconhecido, me faz a seguinte pergunta: - 



Ou Valter, você participou da transtotal, juntamente com Julião Neres?
 
Na transamazônica lá na década de 70?

Respondí-lhe: Boa noite meu amigo !

Participei, sim. 

Aí então eu percebi que se tratava de alguém que nos conhecemos na Transamazônica na década de 70, quando eu ainda fazia seminário de teologia na Bahia, e havia participado de um projeto de evangelização promovido pela Convenção Batista Brasileira, no período de férias de fim de ano. 

E nosso papo continuou mais à vontade, já que ambos estavam surpresos com esse histórico reencontro através da internet depois de tantos anos sem se comunicarem, e nem saberem notícias um do outro.


Quanto prazer encontrar vc... 
Vc apresentou Jesus à mim e a minha família.


Fundamos a igreja batista em repartimento... 
Eu era um garoto.

Vc, Julião Neres e Elson.

Prazer e honra é todo meu depois de tantos anos nos encontrarmos aqui meu estimado e amado irmão !

Que maravilha ! 

Que recordação sensacional !


O Julião está em Parauapebas, no Pará.
Honra toda minha.



Meu pai, não sei si vc si lembra... Erasmino

Eu estou no mesmo lugar... Novo Repartimento.

Andei muito naquela rural

Vdd.
Era Etasmino, amazonas e Jonas Paulino, esposo da irmã Rosimeire
Eita coisa boa.
Depois veio pastor Antônio Carlos
A alegria e toda minha.
Quero que mim adote como meu conselheiro.
Naquele tempo as coisas eram muito difíceis... 

Vcs ajudaram muito naquela época.

 
Tenho muita admiração e respeito pela vossa pessoa.
 
Lembro se vc com si fosse hoje.

A ebf foi minha base.


A igreja aqui tá uma igreja grande.
Vc é nosso pai na fé.

E olha que já rendeu aos milhares aquela semente que vcs semearam.



Nosso alicerce foi muito bem fundamentado... Graças a vcs


Ainda tem bastante gente daquela época aqui.
 

Amém amado irmão !
Minha alma está jubilando de alegria amado irmão !


O irmão Milton ainda é vivo... si não morrer no dia que lhe ver... Rsssss




Amamos vc como da nossa família.
 

Com certeza vou visitar a todos.
Quero ter essa honra.
Será uma volta no tempo.
A recíproca é verdadeira, porque na verdade, somos a família de Deus.
Com certeza amado ! 
UMA VOLTA NO TEMPO.
Hoje estou desenvolvendo um ministério evangelístico na rede social onde criei o grupo denominado GRUPO MINISTRO DO EVANGELHO VALTER DESIDERIO BARRETO, que já está se aproximando de DEZ MIL membros.




Eu solicitei a minha entrada no grupo... Belo trabalho.



Tenho convicção que o seu respaldo com Deus é muito grande.
 

Pelas milhares de almas que só aqui em nossa região foram salvas através do seu trabalho.
 
Era tudo muito diferente do que vemos hoje em dia... 
 
A comunhão entre os irmãos e a caridade era outro nível... 
 
Os tempos mudaram muito.
 
Minha mãe foi batizada no primeiro batismo que vcs fizeram...
 
E até hoje vai todos os dias de culto possíveis na mesma igreja.
Muito obrigado pela atenção... 
 
Ore por mim.
 
Carlinhos Sales. 
 
Prometi a esse amado irmão, que irei visitá-lo quando chegar em Belém, ainda no mês de janeiro de 2018.
Por que não dizer que esse foi um presente mais do que especial na minha vida em 2017 ?
 
Comentário na página do Facebook do meu estimado amigo e irmão em Cristo Carlinhos Sales.
A Deus seja dada toda a honra e toda a glória ! 
Valter Desidério... Um servo do Deus altíssimo... 
Esse cidadão a mim, apresentou o senhor Jesus na década de 70, devo a ele o meu conhecimento, e com ele divido a minha felicidade de hoje ser um cristão e amigo do senhor Jesus Cristo... posso dizer que devo a ele a minha vida, pq um homem sem deus não é nada... 
Inda mais no meio em que fui criado; confesso para glória de Deus que, metade dos meus amigos se infância, morreram todos assassinados... 
Eu porém, nunca sofri um arranhão, e nem mesmo sequer uma afronta... 
Glórias a Deus!!!







Carlinhos e sua digníssima esposa Paulinha



O paizão e suas duas lindas filhas.






 






 

Comandante do Exército se diz preocupado com 'constante emprego' de militares em ações de segurança pública


Resultado de imagem para Comandante do Exército se diz preocupado com 'constante emprego' de militares em ações de segurança pública


General Eduardo Villas Bôas usou o Twitter para voltar a criticar decretos de 'garantia da lei e da ordem'. Governo federal autorizou na sexta (29) reforço das Forças Armadas na segurança do RN.


Por G1, Brasília
Comandante do Exército, o general Eduardo Villas Bôas utilizou as redes sociais para dizer que está preocupado com o "constante emprego" das Forças Armadas em ações de segurança pública. 
 
Em uma publicação no Twitter neste sábado (30), Villas Bôas voltou a se manifestar sobre o assunto, afirmando que os números da violência no país mostram que a segurança pública precisa ser tratada pelos governos estaduais "como prioridade zero". 
 
Na última sexta (29), o governo federal autorizou o envio de 2 mil homens das Forças Armadas para o Rio Grande do Norte, estado que assiste a uma escalada da violência por conta da greve de policiais militares e civis.
Forças Armadas começam a patrulhar as ruas do Rio Grande do Norte
Forças Armadas começam a patrulhar as ruas do Rio Grande do Norte.
 
Essa é a terceira vez só em 2017 que o Rio Grande do Norte recebe o apoio do Exército para fazer o patrulhamento das ruas. 
 
Os militares ajudarão na segurança na Grande Natal e em Mossoró, onde ataques, saques e arrastões estão acontecendo com maior frequência desde que a polícia deixou de atuar.
 
"Preocupa-me o constante emprego do @exercitooficial em “intervenções” (GLO) nos Estados. Só no RN, as FA já foram usadas 3 X, em 18 meses. 
 
A segurança pública precisa ser tratada pelos Estados com prioridade “Zero”. 
 
Os números da violência corroboram as minhas palavras", escreveu o general na rede social.
O comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas (Foto: Geraldo Magela, Agência Senado)
O comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas (Foto: Geraldo Magela, Agência Senado).
 
Realizadas exclusivamente por ordem expressa da presidência da República, as missões da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) ocorrem nos casos em que há, segundo o Ministério da Defesa, "o esgotamento das forças tradicionais de segurança pública, em graves situações de perturbação da ordem". 
 
Nessas ações, as Forças Armadas "agem de forma episódica, em área restrita e por tempo limitado, com o objetivo de preservar a ordem pública, a integridade da população e garantir o funcionamento regular das instituições".

Críticas recorrentes.

A manifestação deste final de semana do comandante do Exército contra o uso das Forças Armadas na segurança pública não é a primeira crítica pública de Eduardo Villas Bôas em relação ao assunto. 
 
Em junho, em uma audiência pública em uma comissão do Senado, o general havia usado um tom ainda mais duro. 
 
À época, ele afirmou que o uso de militares em atividades de segurança pública é "desgastante, perigoso e inócuo"
 
Na ocasião, ele defendeu que o uso deste modelo, por meio de decretos presidenciais, seja repensado. 
 
O próprio ministro da Defesa, Raul Jungmann, também já se manifestou contra os decretos de Garantia da Lei e da Ordem. 
 
Em uma audiência no Senado em junho, Jungmann destacou que há uma "banalização" do uso das Forças Armadas para ações de segurança pública por meio de decretos de GLO.
 
Dois meses depois, em um evento com oficias das Forças Armadas, o presidente Michel Temer pediu paciência aos militares por conta das constantes ações de segurança pública exercidas nos últimos anos pelas tropas. 
 
Segundo o peemedebista, os decretos de Garantia da Lei e da Ordem estão "muito na moda"
 
"Tenho certeza de que os senhores seguirão exercendo com competência, sob a égide do Ministério da Defesa, as funções que lhes atribui a Carta Magna: a defesa da pátria, a garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa destes, aliás está muito na moda, a garantia da lei e da ordem", enfatizou o presidente aos militares.
O ministro da Defesa, Raul Jungmann (esq), sinalizou na quinta (28) permanência das Forças Armadas no Rio de Janeiro ao longo de 2018 (Foto: Bernardo Caram, G1)
O ministro da Defesa, Raul Jungmann (esq), sinalizou na quinta (28) permanência das Forças Armadas no Rio de Janeiro ao longo de 2018 (Foto: Bernardo Caram, G1).

Decretos de GLO

Em 28 de julho, Temer assinou um decreto de GLO para autorizar a atuação de tropas das Forças Armadas na segurança pública do Rio de Janeiro. 
 
Os militares passaram a auxiliar as tropas estaduais em operações para combater o crime organizado. 
 
Quatro dias antes, o presidente também havia autorizado a presença de militares nas ruas do Amazonas para reforçar a segurança na realização das eleições do estado. 
 
Na última quinta (28), o ministro da Defesa sinalizou que as Forças Armadas devem permanecer no estado até o final de 2018.
 
Em regra, o envio dos militares para atuar em ações de segurança pública ocorrem a partir de pedidos de governadores, como nos casos do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte. 
 
No entanto, em maio, Temer gerou polêmica ao autorizar a presença das Forças Armadas nas ruas de Brasília, mesmo sem solicitação do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.
Protesto contra governo espalha destruição em Brasília e Temer chama Forças Armadas
Protesto contra governo espalha destruição em Brasília e Temer chama Forças Armadas.
 
O decreto foi assinado durante uma manifestação na qual milhares de pessoas ocuparam a Esplanada dos Ministérios, na região central de Brasília, para protestar contra o governo. 
 
Em meio ao protesto, houve confrontos entre manifestantes e policiais, vidros de prédios foram quebrados e algumas pessoas atearam fogo a objetos. 
 
Alvejado por críticas, o presidente da República revogou o decreto de GLO menos de 24 horas depois de autorizar a presença de militares nas ruas da capital federal.