Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

quarta-feira, dezembro 28, 2016

Denúncia que levou a prisão de agressor de ambulante pode não garantir R$ 50 mil

SSP avalia se denúncia feita por e-mail se enquadra no Programa de Recompensas. Informação deveria ter sido feitas pelo site Webdenúncia.


A Secretaria de Segurança Pública havia prometido pagar R$ 50 mil por informações sobre Alípio Rogério Belo dos Santos e Ricardo Martins do Nascimento, acusados de matar o vendedor ambulante Luiz Carlos Ruas na estação Pedro II do Metrô de São Paulo, no domingo (25). 

O órgão vai avaliar se as informações passadas à Polícia Civil se enquadram na resolução que criou o Programa Estadual de Recompensa.

As denúncias para o programa são feitas no site Webdenúncia

Ao final do processo, o denunciante recebe um número de protocolo e uma senha para que ele possa acompanhar anonimamente o uso da sua informação, o que possibilita o pagamento caso a informação prestada auxilie no esclarecimento do crime.

Segundo a polícia, a prisão de Ricardo Martins foi feita com base em investigação policial. 

Já a prisão de Alípio dos Santos foi feita com uma denúncia anônima enviada por e-mail, e não pelo site Webdenúncia. 

O delegado Rogério Marques disse que a Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), que investiga o crime, recebeu cerca de 35 denúncias após a divulgação do caso. 

"Nós fomos em todas as 35. 

Uma a gente sabia que iria dar certo. 

E uma deu". Alípio foi encontrado em uma Cohab de Itaquera, na Zona Leste da capital paulista. 

A Polícia Civil informou que os agressores foram indiciados por homicídio qualificado. 

A Justiça decretou a prisão temporária de 30 dias para os autores. 

O inquérito continua em andamento e, ao final, será solicitada a conversão das prisões em preventivas.
Termina em confusão a prisão dos dois primos que mataram um vendedor ambulante no Metrô

Presos podem pegar até 30 anos

Especialistas em direito criminal dizem que as imagens das agressões ao vendedor ambulante Luiz Carlos Ruas na estação Pedro II do Metrô oferecem todos os elementos para que Alípio Rogério Belo dos Santos e Ricardo Martins do Nascimento, que estão presos, sejam denunciados por homicídio triplamente qualificado, que pode resultar em pena máxima, de 30 anos de prisão. 

As quantificadoras são motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima. 

"A primeira qualificadora seria o motivo torpe, porque eles agiram com motivo repugnante. eles desconsideraram aquela pessoa como ser humano. 

 Eles agiram de forma repugnante", explica Marina Coelho Araújo, professora de direito penal. 

"A segunda qualificadora é a qualificadora do meio cruel. foi um espancamento. 

Eles bateram nos locais vitais daquela pessoa até ela falecer. 

E a terceira qualificadora é o meio que impossibilitou a defesa da vitima. 

Ele já estava caído, eles empurraram, ela caiu, bateu a cabeça a pessoa e depois eles mataram." 

A pena por homicídio simples pode chegar a 12 anos. 

Se forem condenados por todas essas qualificadoras, os dois primos vão cumprir pena por crime hediondo.

Testemunhas reconhecem segundo agressor de ambulante em SP.

 Resultado de imagem para Denúncia que levou a prisão de agressor de ambulante pode não garantir R$ 50 mil

Nenhum comentário: