Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

quarta-feira, setembro 28, 2016

Tecnologias transformam o chorume, resíduo tóxico do lixo, em água limpa


Edição do dia 08/08/2014

Por dia, 130 mil litros de chorume viram água e adubo em aterro do ES.
No RJ, empresa economiza R$ 300 mil em dois meses com tratamento.

Resultado de imagem para Tecnologias transformam o chorume, resíduo tóxico do lixo, em água limpa 


 Resultado de imagem para Tecnologias transformam o chorume, resíduo tóxico do lixo, em água limpa

As tecnologias de proteção e de recuperação do meio ambiente têm conseguido resultados revolucionários no Brasil e no mundo. 

 O chorume, aquele líquido resultante da decomposição do lixo, já pode ser transformado em água pura.

A maior parte do lixo gerado no Brasil é matéria orgânica, principalmente restos de comida. 

 A decomposição desses resíduos provoca o aparecimento do chorume, o suco do lixo, um líquido escuro, tóxico, que pode contaminar as águas subterrâneas. 

Na maioria dos aterros do país, não há tratamento adequado para o chorume.

“Não é possível que a gente continue levando o chorume para estações de tratamento de esgoto que não tratam chorume. 

Diluem apenas”, comenta o engenheiro civil Walter Plácido.

Uma das exceções é o aterro de Cariacica, no Espírito Santo. 


Lá, uma tecnologia totalmente brasileira transforma 130 mil litros de chorume por dia em água tratada e adubo.

“95% do chorume vira água e os outros 5% são transformados em resíduo, na forma de um lodo sólido, sendo que este resíduo pode ser utilizado em processos de compostagem para que sejam transformados em adubo orgânico”, explica o empresário Poy Ramos Carneiro.

Em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, o tratamento do chorume é ainda mais sofisticado. 

Sai mais barato tratar o chorume por essa tecnologia alemã do que levar o material para tratamento em uma estação de esgoto.  

O chorume recolhido do aterro é bombeado para uma miniestação de tratamento que cabe em um contêiner. 

Equipamentos de última geração filtram o chorume. 

Micro membranas só deixam passar as moléculas de água. 

O resultado do processo é impressionante. 

É água pura, destilada. 

O que era problema virou solução. Uma economia de R$ 300 mil em apenas dois meses.

“Eu acho que é um primeiro passo para que o país evolua no tratamento do chorume para todos os aterros”, diz Milton Pilão Junior, executivo da empresa de tratamento de resíduos.


O desafio agora é descobrir o que fazer com 80 mil litros de água destilada por dia.

“Os usos mais nobres desta água deveriam ser usos industriais. 

Indústrias que têm necessidade de água com alto padrão de desmineralização, alto padrão de destilação”, aponta o engenheiro Walter Plácido.


Nenhum comentário: