Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

domingo, setembro 18, 2016

Solidariedade ajuda hospital de câncer a sanar déficit de R$ 17 milhões

Eventos beneficentes e doações somam 52% do orçamento da instituição.
Cerca de 4 mil atendimentos gratuitos são feitos por dia em Barretos (SP).

 

Do G1 Ribeirão e Franca

Há 19 anos, o aposentado Pedro Sanches planta alimentos em Taiaçu (SP) motivado pela solidariedade. 

Sanches é voluntário no Hospital de Câncer de Barretos (SP) e parte da produção é destinada à unidade.

Além disso, ele também recolhe doações de outros agricultores da região e, duas vezes por semana, com o carro carregado de frutas, legumes e verduras, enfrenta 96 quilômetros de estrada entre o sítio e o hospital.

O aposentado diz que o esforço é compensador: a colaboração dele e dos vizinhos ajudam a fornecer 7 mil refeições por dia aos pacientes que lutam contra o câncer. 

Ações como a dele são essenciais para o funcionamento do hospital, que é referência no Brasil.

"É tão gostoso, tão gratificante. 

Faz bem para a alma, para o coração, para tudo. 

Às vezes, eu estou com alguma dor, e basta eles me ligarem dizendo que eu posso levar as coisas que o mal estar passa na hora", diz.

O gerente de captação do hospital, Luiz Antônio Zardini, afirma que doações como a de Sanches e de outros empresários brasileiros garantem 52% dos recursos da instituição. 

O restante vem de recursos federais.

Mesmo assim, o déficit mensal da unidade é de R$ 17 milhões - ao todo, os gastos do Hospital de Câncer somam R$ 28 milhões por mês. 

Por dia, cerca de 4,1 mil atendimentos são realizados em Barretos.

"O hospital tem um déficit grande porque investimos nos melhores equipamentos. 

Queremos a melhor construção, o melhor remédio e o melhor médico. 

Hoje, só temos condições de tratar essa população porque temos o apoio de inúmeras pessoas", diz Zardini.
Cofrinhos do Hospital de Câncer estão distribuídos em diferentes estabelecimentos pelo Brasil (Foto: Reprodução/EPTV)Cofrinhos do hospital estão distribuídos em estabelecimentos pelo Brasil (Foto: Reprodução/EPTV)


De moeda em moeda
 

O assistente de captação Reinaldo Sebastião de Souza diz que outra forma de arrecadação do hospital é a distribuição de cofrinhos em estabelecimentos comerciais e empresas. 

Até agosto deste ano, o valor arrecadado desta forma chega a R$ 1 milhão.

"De moeda em moeda, com toda a certeza, nós vamos superar a marca dos R$ 2 milhões de arrecadação até o final de 2016", afirma Souza.

A casa do motorista Márcio José de Faria é um ponto de recolhimento. 

A cada 40 dias ele visita o hospital para entregar o cofrinho cheio e buscar outro, vazio. 

Qualquer troco ou moeda vai para a latinha.

"Eu acho importante doar. 

Meus amigos que frequentam minha casa acabam ajudando a encher o cofrinho também. 

É muito bom poder ajudar as pessoas que precisam", diz.
O produtor rural e voluntário, Marcelo Galvão, organiza shows em prol do hospital (Foto: Reprodução/EPTV) 
O produtor rural e voluntário Marcelo Galvão organiza shows em prol do hospital (Foto: Reprodução/EPTV)


Eventos solidários.

O empenho dos voluntários chega à organização de grandes eventos beneficentes, como leilões e shows. 


Em 2015, o "Cabaré" dos cantores Leonardo e Eduardo Costa, organizado pelo produtor rural e voluntário Marcelo Galvão, arrecadou R$ 500 mil para o hospital.

Na próxima quinta-feira (22), o cantor Daniel também se apresenta em Ribeirão Preto (SP) ao lado de Teodoro & Sampaio, Juliano César e Paraná, em show cuja bilheteria será destinada ao Hospital de Câncer. 

Os ingressos custam a partir de R$ 350.

A professora Alessandra Ripamonte, de Pitangueiras (SP), também promove ações desde 2011 em prol da instituição. 

A ideia do trabalho voluntário surgiu após a morte de um primo, vítima de câncer.

"Se cada um fizesse um pouquinho pelo outro, as coisas estariam bem melhores em termos de relacionamento e convívio. 

Ninguém sabe o dia de amanhã, então temos que preparar esse amanhã da melhor maneira possível e eu acho que ajudar é o melhor caminho", diz.
A professora Alessandra Ripamonte organiza leilões para ajudar a unidade em Barretos, SP (Foto: Reprodução/EPTV)Alessandra Ripamonte organiza leilões para ajudar a unidade em Barretos (Foto: Reprodução/EPTV)
 








Nenhum comentário: