Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

terça-feira, junho 14, 2016

Vítima é torturada e morta dentro de casa


Vítima é torturada e morta dentro de casa (Foto: Marco Santos/Diário do Pará)
Segundo peritos criminais, Sérgio do Livramento, 50 anos, teria sido forçado até a inalar gás de cozinha. (Foto: Marco Santos/Diário do Pará)
 
As mãos e os pés estavam amarrados para trás. 

A boca amordaçada. Um saco plástico cobria toda a cabeça. 

Em direção à boca estava a mangueira do botijão de gás. 

Um dente foi arrancado com alicate. 

E, ainda, uma facada no coração. “Foram várias sessões de tortura”. 

O perito criminal Jadir Ataíde, não tem dúvidas: Sérgio Luiz Almeida do Livramento, de 50 anos, foi brutalmente assassinado no último fim de semana, dentro de casa, localizada na rua Cariazal, bairro Baía do Sol, em Mosqueiro.

O homem foi encontrado na cozinha, no final da manhã de ontem, pela ex - companheira. 

Ela que não terá o nome revelado, teria chegado na residência e encontrado a porta da sala somente encostada. 

“A casa está toda revirada. 

Levaram alguns pertences da vítima. 

Acreditamos em um latrocínio (roubo seguido de morte)”, aposta o cabo Costa Neto, do 25º Batalhão da Polícia Militar.

“O pescoço foi estrangulado com um punho de rede. 

Um vidro de pimenta estava próximo ao corpo, o que caracteriza que foi usado na tortura. 

Possivelmente a vítima também foi obrigada a inalar o gás do botijão, pois ele estava ao lado do corpo e a mangueira em direção à boca. 

Havia ainda uma perfuração no peito, em direção ao coração”, descreve o perito Jadir Ataíde. 

Ainda segundo ele, pelas características do corpo de Sérgio, ele foi assassinado há mais de 12 horas do momento em que foi encontrado. 

“A princípio a casa foi muito revirada, como se estivesse [criminoso] procurando algo”, completa.

De acordo com vizinhos, Sérgio morava há cerca de 2 meses naquela casa e não teria amizades com os moradores. 

Mas alguns vizinhos teriam escutado, no começo da madrugada de ontem, os latidos do cachorro da vítima. 

O cão estaria agitado, porém, populares comentaram que não suspeitaram de nada. 

Acrescentaram também que não teriam visto ninguém saindo da casa da vítima.

Peritos criminalísticos foram acionados no início da tarde de ontem, por policiais militares. 

O trabalho da equipe durou aproximadamente uma hora. 

Devido ao cenário e as características do crime, o assassinato será analisado de forma diferenciada. 

“Há um protocolo para crimes de tortura.

 A necropsia e o laudo são diferentes”, detalha o perito criminal. 

A Polícia Civil de Mosqueiro deverá investigar o caso.

(Michelle Daniel/Diário do Pará)

Leia também:

Nenhum comentário: