Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

terça-feira, junho 14, 2016

Polícia Federal prende no Piauí quadrilha suspeita de fraudar o INSS

No total, 12 pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (14).
Segundo INSS, mais de 500 benefícios com indícios de fraude serão suspensos.

Do G1 PI
Sede da Polícia Federal em Teresina  (Foto: Beto Marques/G1)Sede da Polícia Federal em Teresina (Foto: Beto Marques/G1)
 
A Polícia Federal no Piauí prendeu na manhã desta terça-feira (14) 12 pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha especializada em fraudar benefícios previdenciários na região de Valença, Sul do estado. 

Foram cumpridos ainda 12 mandados de busca e apreensão. 

A Operação Sambito foi realizada em parceria com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e Ministério da Previdência Social.

De acordo com o delegado da PF, Lucimar Sobral, a quadrilha ia atrás de pessoas interessadas em conseguir benefício rural fraudulento e realizavam empréstimos consignados cujos valores serviam para pagamento de membros da organização.

“A partir do momento em que a pessoa se interessava, ela passava as informações pessoais aos agenciadores e advogados, que chegava aos servidores do INSS.

Eles eram cadastrados como se fossem trabalhadores rurais”, afirmou o delegado da PF.

No decorrer das investigações, foram identificados mais de 500 benefícios de aposentadoria rural com indícios de fraude, os quais podem ter causado um prejuízo ao INSS superior a R$ 10 milhões.

“Vamos cancelar esses mais de 500 benefícios, o que evitará um prejuízo de aproximadamente R$ 70 milhões”, falou o representante do INSS, Marcelo Ávila.

Em apenas 53 benefícios já suspensos pelo INSS constatou-se um prejuízo efetivo de R$ 1 milhão, além de um prejuízo causado aos bancos privados superior a R$ 400 mil decorrentes de empréstimos consignados.

As prisões foram cumpridas nas cidades de Teresina, Valença do Piauí, Novo Oriente do Piauí, Várzea Grande e S
anta Cruz dos Milagres. 

Presos foram levados para a Superitendência da PF na capital.

Nenhum comentário: