Banners


Create your own banner at mybannermaker.com!

Aproveitamento do caroço de açaí

< / a >

domingo, junho 12, 2016

Bebê é hospitalizado com marcas de mordida e mãe depõe à polícia no AM

Menino tem marcas por todo corpo e ferimento no pênis, dizem médicos.
Mãe foi encaminhada para delegacia; família nega violência contra vítima.

 

Ive Rylo e Leandro Tapajós Do G1 AM
Corpo do menino apresentou várias marcas e mordidas (Foto: Divulgação )Corpo do menino apresentou várias marcas e mordidas (Foto: Divulgação )


A mãe de um menino de um ano e quatro meses foi encaminhada à polícia após seu filho ser atendido no Pronto-Socorro da Criança João Lúcio, na Zona Leste de Manaus, neste domingo (12). 

De acordo com uma médica do hospital, a criança tinha marcas de mordidas, hematomas de espancamento por todo corpo e ferimentos no pênis. 

A família negou ao G1 que tenha ocorrido violência contra o bebê.

De acordo com familiares de pacientes, o caso revoltou a equipe médica e pessoas que estavam na unidade de saúde no momento do atendimento, nesta manhã. 

A mãe e o padrasto da criança - de 22 e 17 anos respectivamente - levaram o menino até o hospital.

saiba mais.

"As mães estão revoltadas. 

Tinha mãe querendo bater nela dentro do hospital. 

Inclusive, ela foi amparada para dentro da observação, porque as mães queriam pegá-la", relatou a pediatra Aline Coelho Cordeiro.

Segundo informações repassadas por funcionários da unidade, a criança tinha múltiplas lesões causadas possivelmente por socos e mordidas. 

"A criança chegou chorando. 

A mãe, super fria, chegou dizendo que a criança tinha caído do velocípede. 

Achei muito estranho porque a gente conhece quando a criança cai e, ele estava cheio de mordidas pelo corpo inteiro, perna, tronco, cabeça, bochecha, inclusive na área genital. 

O 'pintinho' dele estava dilacerado com mordidas", disse a pediatra.
Pediatra Aline Coelho Cordeiro. (Foto: Ive Rylo/G1 AM)Pediatra Aline Coelho Cordeiro. (Foto: Ive Rylo/G1 AM)


A médica disse ainda que a equipe do hospital questionou a mãe e o padrasto sobre a causa dos ferimentos. 

"Ela [mãe] disse que ele [menino] caiu do velocípede, depois ela mudou de assunto, dizendo que ela dormiu e que já tinha acordado com a criança daquele jeito. 

Mas como? 

Só se tinha um tigre dentro do quarto?", afirmou a médica.

O menino permaneceu por três horas em observação. 

Após ser submetido ao exame de raio-x, ele foi avaliado por um pediatra, um cirurgião e um ortopedista. 

"Ele não tem sinais de fratura. 

A única coisa que esta ruim é a urina, como o 'pintinho'’ dele foi muito mordido, ele não esta conseguindo urinar", disse Aline.
Menino foi atendido em hospital na capital amazonense (Foto: Divulgação) 
Menino foi atendido em hospital na capital amazonense (Foto: Divulgação)


Família.

No estacionamento do Pronto Socorro, familiares da mãe e da criança, sustentaram a informação que o menino havia caído da escada, mas que ele estava bem. 


Nervosos, não quiseram gravar entrevista com a imprensa.

Ainda pela manhã, a criança e a mãe foram encaminhadas em uma viatura da Polícia Civil para o Instituto Médico Legal (IML) no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus.

Realizado  o exame de corpo delito, mãe e criança foram levadas à Delegacia Especializada de Assistência e Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), no bairro Planalto, Zona Centro-Oeste.
Crianças e responsáveis foram ouvidos na Depca (Foto: Rickardo Marques/G1 AM) 
Crianças e responsáveis foram ouvidos na Depca (Foto: Rickardo Marques/G1 AM)


Delegacia
 

A delegada titular Juliana Tuma afirmou que o flagrante foi instaurado e que o a perícia do IML poderá identificar a natureza das mordida. 

"Esse caso dessa lesão corporal deixou toda equipe da delegacia sensibilizada. 

Iniciamos as diligências no sentido de apontar a natureza das mordidas, até para que a gente verifique se a mordida foi feita por um adulto, uma criança, se foi por alguém que usa ou não aparelho (dentário)", disse.

Na tarde deste domingo, a mãe e outras pessoas foram ouvidas na delegacia. 

“Estamos trabalhando no sentido de ouvir todos os envolvidos, as pessoas que estavam na casa. 

Agora, o que causa espécie em toda a equipe é: essa criança não reagiu? 

Não gritou? 

Então a mãe possivelmente responderá no mínimo pela omissão”, afirmou a delegada.

Ela adiantou que o menino será encaminhado ao serviço de acolhimento institucional, ainda neste domingo (12), até o caso ser elucidado.

A polícia informou que os procedimentos cabíveis para o caso devem continuar durante o restante do domingo, e que mais informações só devem ser obtidas na manhã desta segunda-feira (13).


COMENTÁRIO:

Isso não é uma mãe, isso é um monstro ! 

Tem que pagar por esse crime hediondo contra um ser indefeso, independentemente dessa cachorra ser menor de 17 anos. 

Se já sabe trepar com gato e cachorro, tem que assumir a responsabilidade pelos erros de colocar filhos no mundo sem poder. 

Isso que dá essas cadelas sai trepando com gato e cachorro por onde anda,  no tempo do cio, e depois pare uma criança sem saber quem é o pai, e por não ter condição ou o preparo suficiente para criar e educar o fruto de sua irresponsabilidade juntamente com o jumento reprodutor, maltrata a criança com a visível intenção de se vê livre desse ser indefeso para se entregar novamente a outro macho, depois fica se desculpando perante as autoridades da maldade praticada contra quem não pediu para vim ao mundo, acobertada pelos seus familiares. 

Cadeia nesta vagabunda e todos seus familiares e padrasto dessa criança, porque todos são cúmplices da maldade dessa égua parideira criminosa. 

Valter Desiderio Barreto.

Nenhum comentário: